Estamos no Facebook: clica em GOSTO e junta-te a nós

Atletas de Ginástica Rítmica da Casa do Povo da Gafanha da Nazaré participam em mais um Campeonato Distrital de 1ª Divisão e Encontro de Minis e Infantis

Atletas de Ginástica Rítmica da Casa do Povo da Gafanha da Nazaré  participam em mais um Campeonato Distrital de 1ª Divisão e Encontro de Minis e Infantis

Este encontro teve lugar no passado domingo, dia 11 de Março,  em Aveiro, no pavilhão da Escola Secundária dr. Jaime Magalhães Lima e foi organizado pela EGA (Escola Rítmica de Aveiro).
A Casa do Povo apresentou a concurso três ginastas do escalão de minis – Adriana Monteiro, Inês Pereira e Rosa Ramos-, que competiram em movimentos livres e em corda e uma ginasta do escalão de esperanças – Beatriz Fernandes, em movimentos livres, corda, maças e bola.
Os resultados obtidos foram bastante satisfatórios, uma vez que todas as ginastas em competição subiram ao pódio: Rosa Ramos obteve o 2º lugar em movimentos livres  e o 1º em corda; Adriana Monteiro obteve o 2º lugar em corda; Inês Pereira obteve o 3º lugar em corda e Beatriz Fernandes obteve o 3º da classificação geral, 2º lugar em maças e 3º lugar em corda.
Em relação à ginasta do escalão de esperanças – Beatriz Fernandes, esta irá participar na prova de apuramento para o Campeonato Nacional de 1ª divisão, a realizar em Coimbra, no último fim de semana de Março.

13/03/2012 Delmar Conde triunfa na Regata do Infante

A embarcação “Delmar Conde Construções Navais - Porto de Aveiro”, de Delmar da Silva Conde, patrocinada pela Administração do Porto de Aveiro, triunfou na classe ORC Clube, na 2ª edição da Regata do Infante. Obteve o 1.º lugar em tempo real, tendo sido o barco mais rápido da regata que contou com 37 veleiros e mais de 170 participantes. A organização esteve a cargo da Associação Náutica de Recreio e do Sport Club do Porto e a regata foi disputada em duas mangas, sendo a 1ª largada dada partir da praia de Matosinhos com vento de leste, e rajadas que ultrapassavam os 20 nós, e depois da rondagem da boia da Madalena o percurso previa a entrada no rio Douro sendo a chegada estabelecida junto à casa do Infante no Cais da Ribeira.
A segunda largada foi junto da nova marina do Douro, na Afurada, e as embarcações rumaram ao Porto de Leixões, com ventos de Noroeste de cerca de 15 nós, onde se encontrava a linha de chegada.
A equipa “Delmar Conde Construções Navais – Porto de Aveiro” é constituída pelos velejadores Delmar Conde, José Oliveira, Manuel Leão, Pedro Patricio, Paulo Rocha, Domingos Batel, Renato Alvim e José Amaral.

Fonte: Terra Nova

13/03/2012 Caminhada e palestra no programa do Dia da Mulher preparado pelos jovens de “A Tulha”

O grupo de jovens “A Tulha” assinalou o Dia da Mulher com uma manhã no feminino. No total, 45 mulheres responderam ao desafio e comemoraram o Dia Internacional da Mulher com uma caminhada, com uma palestra sobre o cancro da mama e, no final, com um pequeno lanche.
As atividades começaram cerca das 10 horas. Depois de oferecidas t-shirts cor-de-rosa a todas as participantes, o grupo de mulheres iniciou uma caminhada pelas ruas da Gafanha de Aquém, que durou cerca de 45 minutos.
Na sede do Grupo de Jovens “A Tulha”, atrás da Capela da Gafanha de Aquém, houve uma palestra tendo como convidado Juan Carlos Mellidez do serviço de Oncologia do Hospital Infante Dom Pedro, em Aveiro, numa ação de esclarecimento sobre a doença.
Os alimentos do lanche foram preparados pelos homens da associação “A Tulha”, numa forma simbólica de homenagear as mulheres e “de as mimar no seu dia”.

Fonte: Terra Nova

13/03/2012 ETP: Estivadores forçam mudança de administrador judicial

José Gonçalves foi afastado do cargo de administrador da insolvência da Empresa de Trabalho Portuário (ETP). A proposta partiu da representante legal do Sindicato dos Trabalhadores do Porto de Aveiro (STPAveiro), com procuração da esmagadora maioria dos trabalhadores, na Assembleia de Credores, realizada esta tarde no juízo de comércio do Baixo Vouga, alegando "falta de acompanhamento" da empresa por parte do primeiro nomeado pelo tribunal, na sequência da declaração de insolvência. Os representantes do Porto de Aveiro, da Aveipor e Socarpor, estas duas últimas accionistas da ETP, abstiveram-se. Não se registaram votos contra. Os trabalhadores fizeram aprovar a eleição de uma administradora de insolvente que aceitou apresentar um plano de recuperação com "os demais interessados que se queiram juntar", segundo declarou a advogada do sindicato.
No inicio da Assembleia de Credores o gestor judicial cessante, tinha mostrado "disponibilidade" para continuar e solicitou 60 dias para elaborar uma proposta de viabilização da ETP que teria de passar, contudo, por "diálogo e negociações", nomeadamente com os trabalhadores. Depois de conhecer o seu afastamento de funções, José Gonçalves rejeitou "responsabilidades" por falta de acompanhamento da empresa, lembrando o acordo "árduo" com os estivadores para manter a actividade do Porto ainda que sem a totalidade das remunerações garantidas.

Fonte: Terra Nova

12/03/2012 Gafanha vence São Roque (0-3) e está a 4 pontos do Lourosa que ocupa o segundo lugar

O Gafanha reduziu a diferença para o segundo classificado que está, agora, na casa dos 4 pontos. Aproveitou o deslize do Lourosa no campo do Mourisquense para recuperar. A formação do Gafanha bateu o São Roque por 3-0 e está mais perto de voltar a discutir a segunda posição que no final da época poderá dar direito a promoção. O Estarreja venceu o Carregosense, por 1-0, e mantém a liderança confortável na prova.

Fonte: Terra Nova

12/03/2012 Ferry vai parar para reparação em doca seca. Autarquia desmente navegação sem licenças

O vice-presidente da Câmara de Aveiro negou que o ferry tivesse sido apanhado a navegar sem licenciamento. Carlos Santos desmente uma notícia recente que dava conta de uma ação da Polícia Marítima que teria detetado licenças caducadas no ferry que faz a ligação marítima entre o Forte da Barra e São Jacinto como justificação para uma paragem.
A inspeção de Abril de 2011 tinha detetado 9 anomalias, “nenhuma delas merecedora de código de reprovação, ou seja, o barco podia navegar” e a MoveAveiro estava obrigada a corrigir estas anomalias. Segundo a autarquia na altura da paragem “estas anomalias, não colocavam em causa a segurança da embarcação e foram sendo corrigidas pela empresa”.
Agora, no final deste mês o Ferry vai para doca seca para uma reparação mais profunda mas Carlos Santos diz que falar em falta de certificados é estar a desconsiderar a atividade do Instituto Portuário e dos Transportes Marítimos.
“Foi aqui dito que o ferry anda a navegar sem certificado de segurança. É grave dizer-se isto. Estão a por em causa a autoridade marítima. Quem verifica as embarcações não é a câmara, nem a Move. O ferry esteve avariado durante quatro dias. Cuidado com o que se diz”.
Carlos Santos assegura que durante o período de reparação irá haver reforço de lanchas na ligação entre o Forte da Barra e São Jacinto.
“O ferry vai ser atracado para rever o certificado de navegabilidade. Uma lancha fará todos os percursos e estamos a ver se em vez de uma pomos duas a funcionar”. Ferry em doca seca no final do mês de Março.

Fonte: Terra Nova

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores